13 de set de 2017

SLIDES SOBRE SISTEMA ENDÓCRINO

SLIDES SOBRE SISTEMA NERVOSO

SLIDES SOBRE SISTEMA ESQUELÉTICO

https://pt.slideshare.net/projeto.postura/sistema-esqueltico-401035

Slides para meus querido do oitavo ano do CEI MIRASSOL.

SLIDES SOBRE ÓRGÃO DOS SENTIDOS

https://pt.slideshare.net/daniarozi/rgos-dos-sentidos-1732778

BOA NOITE, aqui estão os slides sobre órgãos dos sentidos - OITAVO ANO - CEI MIRASSOL.

Bons estudos!!

6 de set de 2017

Por que conseguimos sentir quando alguém nos está observando fixamente?

Qualquer uma já passou por essa perturbadora situação: concentrado s em alguma tarefa, percebemos, subitamente, uma alteração no ambiente. Uma energia vindo de outro lugar.
Levantamos a cabeça e vemos alguém nos olhando fixamente.
Como soubemos?
Apesar de que o olhar pode ser de intimidação, admiração ou compaixão, detectá-lo é algo surpreendente, e a ciência tenta encontrar respostas para o que parece ser uma espécie de sexto sentido.
Os resultados, pelo menos até agora, sugerem que pode se tratar de uma habilidade sustentada por uma complexa rede neurológica.
Há vários fatores combinados, como a evolução do olho do humano, a evolução da comunicação humana e mesmo nossos instintos de defesa e sobrevivência.

Olhos humanos

Em contraste com outros animais, o homem tem a parte brancas dos olhos consideravelmente maior. Na maioria das espécies, a pupila toma conta de quase todo o olhos.
Isso é útil tanto para não chamar a atenção de predadores, mas também serve para que presas não saibam que predadores as têm na mira.
Direito de imagem Getty Images
Image caption As pupilas dos animais tomam quase toda a área do olho
Em humanos, porém, o branco dos olhos permite rapidamente determinar a direção do olhar de outra pessoa ou animal. Podemos definir com bastante precisão se ela está olhando à direita, esquerda, acima, abaixo ou diretamente para nós.
E não precisamos necessariamente estar de frente: podemos, por exemplo, avaliar, ainda que de forma menos precisa, a direção de um olhar com nossa visão periférica.
Ou sequer precisamos olhar os olhos alheios: a visão periférica leva em consideração a posição da cabeça e o ângulo do corpo para saber se uma pessoa está olhando ou não para nós.
Mas se não estamos certos, nosso cérebro presume que somos alvo do olhar.
Colin Clifford, professor de Psicologia da Universidad de Sidney , na Austrália, explica que um indivíduo vai querer prestar atenção ao que pode ser uma ameaça.
"Simplesmente presumir que a outra pessoa está olhando para nós pode ser a melhor estratégia", diz Clifford.

A linguagem dos olhos

Humanos são muito sensíveis aos olhares alheios. Isso porque a sobrevivência humana ao longo do tempo dependeu muito de nossa cooperação e coordenação com outros indivíduos.
Direito de imagem Getty Images
Image caption Nossa visão periférica permite detectar a direção para a qual outras pessoas olham, mesmo quando não estamos de frente
Biólogos sugerem que o branco de nossos olhos evoluiu para melhorar nossas habilidades de comunicação.
Ainda que tenhamos desenvolvido uma complexa linguagem falada, um olhar ainda pode expressar muitas coisas que o idioma não consegue. E também comunicar conceitos de forma rápida e mais discreta.
O contato visual direto com outra pessoa é o mais frequente e poderoso sinal não-verbal que temos em nosso repertório. É um fator crucial em situações de intimidade, intimidação e influência social.
Por isso é que é difícil para humanos esconder emoções: olhares expressam uma gama de sentimentos.
Direito de imagem Getty Images
Image caption Olhadelas podem expressar toda uma gama de sentimentos
É daí que surgem expressões como "mentiu com os olhos", ou "olhar gélido".
E também explica porque estamos sempre conscientes de que alguém nos olha.

Predisposição

E há várias situações que derrubam o mito de um sexto sentido: um estudo publicado pela revista científica  


 Homem olhando para um grupo de mulheres

Current Biology, em 2013, diz que estamos predispostos a pensar que alguém nos olha. Mesmo que nad

Olhar para alguém é um sinal social que, normalmente, significar que queremos iniciar uma conversa. Mas o fenômeno também poder ser resultado de informações que registramos no nosso entorno.
Uma das primeiras coisas que detectamos em outra pessoa é a posição de sua cabeça e seu corpo. Se algum deles está posicionado em nossa direção e, particularmente, de forma pouco natural, isso é motivo para alerta.
O caso mais óbvio é quando o corpo de alguém está na direção contrária, mas sua cabeça está voltada para nós. Isso faz que prestemos mais atenção aos olhos.

Só que, quando pressentimos essa espiada, levantamos a cabeçca na direção de onde acreditamos estar vindo. E esse movimento pode fazer com que a outra pessoa dirija seu olhar para nós.
Quando os olhos de encontrarem, cada pessoa vai supor que a outra a estava olhando.

Outra situação vem do que chamamos de viés de confirmação: somente lembramo-nos das vezes em que realmente encontramos alguém nos olhando, não das vezes que isso não acontece.
E essa sensação perturbadora que sentimos é psicológica.

BBC BRASIL

9 coisas que você provavelmente não sabia que foram inventadas ou descobertas por mulheres

mulheres

Image caption Grace Hopper popularizou o termo "debug" ao descrever um erro de sistema após encontrar um pequeno inseto nas conexões do seu computador | Ilustração: Hannah Eachus
Se pedirem para você citar inventores importantes, nomes como Thomas Edison, Alexander Graham Bell e Leonardo da Vinci provavelmente virão à sua mente.
Mas e Mary Anderson? E Ann Tsukamoto? Já ouviu falar delas?
Talvez não, mas certamente conhece seus feitos: Anderson patenteou o limpador de para-brisa controlado pelo lado interno do veículo; Tsukamoto desenvolveu um processo para isolar células-tronco humanas.
A série da BBC "100 Mulheres", dedicada a histórias nas quais as personagens femininas são as protagonistas, lançou um desafio. A ideia é incentivar mulheres de todo o mundo a criar inovações para alguns dos maiores problemas que enfrentam.
Para quem busca uma inspiração, listamos nove mulheres e suas invenções:

1. Softwares de computadores - Grace Hopper

Depois de entrar na Marinha dos EUA, ainda durante a Segunda Guerra Mundial, a almirante Grace Hopper foi destacada para trabalhar num novo computador chamado Mark 1.
Pouco depois, ela já estava na linha de frente da programação de computadores.
Em 1952, ela criou o primeiro compilador, para traduzir um comando textual para uma linguagem em códigos a serem lidos pelo computador. Isso fez com que a programação fosse mais rápida e acabou revolucionando a forma como esses sistemas funcionam.
Hopper também popularizou o termo "debugging", usado para até hoje para descrever o processo que evita e reduz defeitos de softwares, depois que um inseto foi tirado de dentro da máquina dela.
A "Incrível Grace", como ela era conhecida, continuou trabalhando com computadores até se aposentar como a mais velha oficial da Marinha, aos 79 anos.
Image caption Shirley Ann Jackson, a primeira negra dos EUA a cursar um doutorado no MIT | Crédito: Hannah Eachus

2. Identificador de chamadas e chamada em espera - Shirley Ann Jackson

Shirley Ann Jackson é uma física cuja pesquisa, nos anos 1970, a levou a criar o identificador de chamadas e a chamada em espera.
As invenções de Jackson no campo das telecomunicações também permitiram que outros inventassem o fax portátil, cabos de fibra ótica e células solares.
Ela foi a primeira mulher negra americana a ganhar o título de doutora pelo MIT, sigla em inglês para o renomado Instituto de Tecnologia de Massachusetts.
Image caption As empresas de veículos desdenharam da descoberta de Mary Anderson por achar que iria distrair os motoristas | Ilustração: Hannah Eachus

3. Limpador de para-brisas - Mary Anderson

Em um dia de inverno, em 1903, Mary Anderson visitava Nova York quando percebeu que o motorista era forçado a abrir as janelas do carro toda vez que precisava limpar a neve do vidro da frente.
E, toda vez que isso acontecia, os passageiros ficavam com frio. Anderson pensou numa solução: uma lâmina de borracha que poderia ser acionada de dentro do carro. Em 1903 ela patenteou o equipamento.
A invenção, contudo, não agradou as montadoras, que acreditavam que o para-brisa iria distrair os motoristas. Anderson nunca lucrou com sua criação, nem mesmo quando os limpadores se tornaram padrão nos veículos.

4. Bateria de longa duração - Olga D. Gonzalez-Sanabria

Pode até ser que a descoberta de Olga D. Gonzalez-Sanabria não seja a mais empolgante desta lista, mas as baterias de níquel e hidrogênio com longa duração são tão importantes que ajudaram a manter ligada a Estação Espacial Internacional.
A porto-riquenha desenvolveu essa tecnologia em 1980. Atualmente, é diretora de engenharia de um dos centros de pesquisa da Nasa em Ohio, nos EUA.

5. Lava-louças - Josephine Cochrane

Josephine Cochrane queria uma máquina que lavasse pratos mais rápido que seus empregados - e que não os quebrassem.
Criou, assim, uma máquina cujo motor fazia uma roda girar dentro de uma caldeira de cobre e usava a pressão da água.
Mas o que motivou Cochrane a patentear a invenção em 1886 e a abrir sua própria fábrica de produção foram as dívidas deixadas pelo marido, que era alcoólatra.
Direito de imagem Hannah Eachus
Image caption A enfermeira Marie Van Brittan Brown criou um complexo sistema para monitorar quem batesse a sua porta | Ilustração: Hannah Eachus

6. Sistema de segurança doméstico - Marie Van Brittan Brown

A enfermeira, que passava boa parte do dia sozinha em casa, teve uma ideia para se sentir mais segura. Foi então que, em parceria com o marido, Marie Van Brittan Brown desenvolveu o primeira sistema de segurança doméstico.
O equipamento era complicado: uma câmera conectada a um motor se movia para cima e para baixo na porta para registrar imagens por meio de um olho mágico. O monitor, no quarto do casal, estava equipado com um alarme.
Image caption O trabalho científico de Ann Tsukamoto já levou a grandes avanços na medicina | Ilustração: Hannah Eachus

7. Isolamento de células-tronco - Ann Tsukamoto

A patente do isolamento de células-tronco de humanos foi concedida em 1991 e, desde então, o trabalho de Ann Tsukamoto já levou a grandes avanços.
A descoberta tem ajudado a compreender o sistema sanguíneo de pacientes com câncer, o que faz aumentar as esperanças de se descobrir a cura da doença.
Atualmente, Tsukamoto tem conduzido mais pesquisas sobre o crescimento de células-tronco e é cotitular da patente em sete outras invenções.

8. Fibra Kevlar - Stephanie Kwolek

A química Stephanie Kwolek criou uma fibra leve usada em coletes à prova de balas e armaduras corporais.
Desde a sua descoberta, em 1965, o material, que é cinco vezes mais forte que o aço, já salvou milhões de vidas e é usado por milhões de pessoas todos os dias.
É possível encontrar a fibra em produtos que vão desde luvas domésticas a celulares, aviões e pontes suspensas.

9. Monopoly - Elizabeth Magie

A criação de um dos jogos de tabuleiro mais populares da história já foi atribuída a um homem chamado Charles Darrow. Mas as regras do Monopoly, lançado no Brasil como Banco Imobiliário, foram na verdade inventadas por Elizabeth Magie.
O objetivo de Magie era demonstrar a acumulação de riqueza com um jogo inovador, no qual os jogadores trocaram dinheiro e propriedade falsos. Ela patenteou em 1904 o "Landlord's Game" ("O jogo do proprietário", em tradução livre).
A versão que conhecemos hoje foi lançada em 1935 pela empresa Parker Brothers. Ao descobrir que Darrow não era o único criador, a companhia comprou a patente de Magie por apenas US$ 500.

EXERCÍCIOS SOBRE GRUPOS SANGUÍNEOS - CEI ZONA SUL

01. (UFV) Os grupos sanguíneos M, MN e N são determinados por dois alelos. O grupo sanguíneo Rh+ é determinado por um alelo dominante de um outro gene. Um homem do grupo MN e Rh casa-se com uma mulher do grupo M e Rh. Que tipo de filhos esse casal pode ter?
a) M N e Rh+ Rh.
b) MN e Rh.
c) M MN e Rh.
d) M MN e Rh+ Rh.
02. (UECE) Em 1940, num rumoroso processo de paternidade não reconhecida, a atriz Joan Barry incriminou o famoso Charles Chaplin, celebrizado como Carlitos, acusando-o de ser pai de seu filho. No julgamento, Chaplin foi considerado “culpado”. No entanto, o sangue da criança era B, o da mãe (acusadora de Chaplin) era A, e o sangue do grande cineasta era “O”. E agora, José? Baseado neste texto podemos afirmar:
a) O exame dos grupos sanguíneos são meios seguros de garantir a paternidade da descendência.
b) Embora exista uma probabilidade elevada da exclusão da paternidade, Chaplin poderia apresentar o fenótipo Bombaim. Desta forma, poderia ser o pai da criança. O teste do DNA, atualmente é o meio mais seguro de resolver esta polêmica diante da justiça.
c) O teste de DNA é menos preciso do que o teste de exclusão da paternidade, pelo exame de grupo sanguíneo.
d) De nada adiantaria associar-se ao sistema ABO, outros tipos de sistema de classificação do sangue, como o MN, para se excluir a paternidade de um filho.
03. (UECE) Com relação à anemia hemolítica podemos afirmar que é uma doença:
a) Própria de recém-nascidos, adquirida pela incompatibilidade do fator Rh (feto Rh+ e mãe Rh-).
b) Que causa a morte do feto por incompatibilidade ao grupo sanguíneo AB.
c) Própria de recém-nascidos, quando o bebê e a mãe são Rh.
d) Que causa a destruição dos leucócitos e atrofia as hemácias.
04. (IFSC) O heredograma abaixo se refere à genealogia de uma família. As letras e sinais dentro de cada símbolo representam o tipo sanguíneo de acordo com o sistema ABO e o sistema Rh.
04
Analise as proposições e assinale a(s) alternativa(s) correta(s).
I   II
0  0 – A probabilidade de o casal II.1 x II.2 ter um filho (de qualquer sexo) com sangue B+ é de 1/8.
1  1 – A probabilidade de o casal I.3 x I.4 ter um problema de eritroblastose fetal é nula.
2  2 – O indivíduo III.1 tem 25% de probabilidade de ser do sexo masculino e possuir sangue do tipo A com fator Rh.
3  3 – O indivíduo II.2 é capaz de receber sangue dos indivíduos I.1, I.4 e II.1, pois não apresenta aglutininas dos tipos anti-A, anti-B e anti-Rh.
4  4 – A probabilidade de o indivíduo III.1 poder doar sangue para o próprio pai (II.1) é de 25%.
05.  (UEPA) Em um dos vários programas televisivos, onde é muito frequente a presença de pessoas em busca da confirmação da paternidade, surge uma mulher que alega ser a filha de um famoso astro de televisão e requer que a paternidade seja reconhecida. Encaminhada ao tribunal de justiça, o juiz encarregado do caso solicita a retirada de uma amostra de sangue dessa pessoa e do suposto pai. Após a análise da tipagem sanguínea obteve-se o seguinte resultado: a mulher é do tipo AB, Rh negativo e o homem O, Rh positivo. Com base nessas informações o veredicto do juiz sobre essa questão deverá ser que a mulher:
a) Pode ser filha do famoso astro.
b) Com certeza, não é filha do homem citado.
c) Tem 25% de chance de ser filha do suposto pai.
d) Tem 50% de chance de ser filha do suposto pai.
e) Tem 75%de chance de ser filha do suposto pai.
06. (UNIVASF) Pessoas do grupo sanguíneo (AB) apresentam em suas hemácias os aglutinogênios A e B; por outro lado, pessoas do grupo sanguíneo (O) não apresentam aglutinogênios em suas hemácias. Analise as transfusões propostas e identifique as que indicam transfusões recomendadas.
06
Estão corretas:
a) 2 e 4, apenas.
b) 1, 3 e 4, apenas.
c) 2 e 5, apenas.
d) 1, 2, 3, 4 e 5.
e) 1, 3 e 5, apenas.
07. (UFV) Uma mulher que teve, ao nascer, problemas relacionados com a eritroblastose fetal procurou um geneticista para saber quais eram os riscos de seus filhos virem a apresentar o mesmo problema. Considerando que seu marido é do grupo Rh, a probabilidade de que o primeiro filho deste casal venha também a apresentar eritroblastose feral é:
a) 1/4.
b) 1/2.
c) zero.
d) 100%.
e) 75%.
08. (UFVJM) Considere esta situação. Uma mulher possui sangue A Rh, seu marido, B Rh+. O primeiro filho do casal tem sangue B Rh; o segundo filho, O Rh+. Com base na situação apresentada, preencha os parênteses com V, se a afirmativa for verdadeira e F, se a afirmativa for falsa.
( ) Existe a possibilidade de o casal ter seu terceiro filho com a eritroblastose fetal, caso a mãe não seja imunizada.
( ) A eritroblastose fetal é provocada por anticorpos anti-B da mãe, que atacam as hemácias do feto.
( ) O recém-nascido com eritroblastose fetal apresenta icterícia em decorrência da metabolização da hemoglobina ao ácido úrico, liberada durante a hemólise.
(  ) Há para compensar a destruição das hemácias, grande quantidade de eritroblastos na circulação do recém-nascido.
Assinale a alternativa que contém a sequência correta.
a) V, F, V, V.
b) F, V, V, F.
c) V, F, V, F.
d) V, F, F, V.
09. Utilizando-se três lâminas de microscopia, foi colocada uma gota de sangue humano em cada uma delas. A cada gota foi juntada igual quantidade de soro anti-A na primeira, soro anti-B na segunda e soro anti-Rh na terceira. Após a mistura do sangue com os respectivos soros, foi observada aglutinação nas duas primeiras lâminas. A partir desses dados podemos afirmar que o indivíduo, quanto aos grupos sanguíneos ABO e fator Rh, é:
a) B e Rh positivo.
b) AB e Rh negativo.
c) A e Rh negativo.
d) AB e Rh positivo.
e) A e Rh positivo.
10. (CEFET-CE) Uma mulher do grupo sanguíneo AB casa-se com um homem de grupo sanguíneo B, filho de pai O. A probabilidade de este casal ter uma filha do grupo B é de:
a) 25%.
b) 100%.
c) 75%.
d) 50%.
e) Zero.
11. (PUC-CAMPINAS) Uma mãe, com tipo sanguíneo O, Rh, tem um filho O, Rh+, mas tem dúvidas sobre qual dos três namorados é o pai da criança: João tem tipo sanguíneo A, Rh+, José tem tipo AB, Rh+ e Pedro é A, Rh­. O geneticista consultado informou que o pai pode ser:
a) João.
b) José.
c) Pedro.
d) João ou José.
e) José ou Pedro.
12. (FATEC) Paula, portadora do aglutinogênio B e Rh negativo casou-se com João, portador dos aglutinogênios A e B e Rh positivo. Sabendo-se que a mãe de Paula não possui aglutinogênios e que João teve um irmão com doença hemolítica do recém nascido, conclui-se que a probabilidade de o casal ter um filho Rh positivo e sangue tipo A é:
a) 9/16.
b) 3/16.
c) 1/4.
d) 1/8.
e) 1/2.
13. (UNESP) Em um acidente de carro, três jovens sofreram graves ferimentos e foram levados a um hospital, onde foi constatada a necessidade de transfusão de sangue devido a forte hemorragia nos três acidentados. O hospital possuía em seu estoque 1 litro de sangue do tipo AB, 4 litros do tipo B, 6 litros do tipo A e 10 litros do tipo O. Ao se fazer a tipagem sanguínea dos jovens, verificou-se que o sangue de Carlos era do tipo O, o de Roberto do tipo AB e o de Marcos do tipo A. Considerando apenas o sistema ABO, os jovens para os quais havia maior e menor disponibilidade de sangue em estoque eram, respectivamente:
a) Carlos e Marcos.
b) Marcos e Roberto.
c) Marcos e Carlos.
d) Roberto e Carlos.
e) Roberto e Marcos.
14. (PUC-MG) Os esquemas abaixo mostram as possíveis transfusões de sangue tradicionais em relação aos sistemas ABO e Rh.
14
Pode-se dizer que os tipos sanguíneos mais difíceis e mais fáceis para receber sangue são, respectivamente:
a) O Rh+ e O Rh­.
b) O Rh,­ e AB Rh+.
c) A Rh,­ e AB Rh+.
d) AB Rh+ e O Rh.
15. Ao descobrir que seu genótipo era homozigoto, João (indivíduo II.1) elaborou o heredograma abaixo, sobre a herança de grupos sanguíneos do sistema ABO. Considerando a herança clássica do sistema ABO, verifique as proposições a seguir:
15
I   II
0  0 – O indivíduo II.2 é de sangue tipo B.
1  1 – O indivíduo II.5 pode ter aglutininas anti-A e anti-B no seu plasma.
2  2 – O genótipo de III.3 é IBi.
3  3 – O individuo III.5 pode ter aglutininas anti-A e anti-B no seu plasma.
4  4 – O indivíduo III.2 é de sangue tipo A.
16. (CESGRANRIO) O esquema abaixo apresenta as possíveis transfusões entre indivíduos dos grupos sanguíneos do sistema ABO:
16
A partir dele podemos concluir que:
a) B tem aglutinogênio A e aglutinina B.
b) A tem aglutinogênio A e aglutinina A.
c) O tem aglutinogênios A e B.
d) AB não tem nenhum dos aglutinogênios.
e) AB não tem nenhuma das aglutininas.
17. (PUC-MG) Interpretando a figura a seguir sobre a Doença Hemolítica do recém-nascido (DHR), assinale a afirmativa incorreta.
17
a) A placenta normalmente funciona como uma barreira que separa as células sanguíneas fetais e maternas.
b) Após a 1a gravidez, os antígenos fetais não serão capazes de induzir a produção de anticorpos anti-Rh pela mãe.
c) Em III, após o contato com o antígeno Rh+, a mãe produz anticorpos anti-Rh que podem ser transferidos para a corrente sanguínea fetal.
d) Se, logo após o parto da 1a gravidez, a mãe recebesse anticorpos anti-Rh, a DHR poderia ser evitada.
18. (PUC-PR) Num laboratório foram realizados, em cinco indivíduos, exames de sangue para a determinação da tipagem sanguínea dos Sistemas ABO e Rh. Foram obtidas reações com a aplicação dos reagentes anti-A, anti-B e anti-Rh. Os resultados obtidos foram:
INDIVÍDUO SORO ANTI-A SORO ANTI-B SORO ANTI-RH
1 Aglutinou Não aglutinou Não aglutinou
2 Aglutinou Aglutinou Aglutinou
3 Não aglutinou Aglutinou Não aglutinou
4 Não aglutinou Não aglutinou Não aglutinou
5 Aglutinou Aglutinou Não aglutinou
Com base no quadro, conclui-se que são classificados, respectivamente, como receptor e doador universal:
a) 4 e 2.
b) 4 e 3.
c) 1 e 5.
d) 2 e 4.
e) 5 e 1.
19. (MACK) Considere o heredograma abaixo, que mostra a tipagem ABO e Rh dos indivíduos. Sabendo que o casal 5 X 6 já perdeu uma criança com eritroblastose fetal, a probabilidade de nascer uma menina do tipo O, Rh+é de:
19
a) 1/6.
b) 1/8.
c) 1/2.
d) 1/4.
e) 1/3.
20. (UNESP) Observe a genealogia.
20
Para o casal (5 e 6) que pretende ter muitos filhos, foram feitas as quatro afirmações a seguir.
I. O casal só terá filhos AB e Rh positivo.
II. Para o sistema ABO, o casal poderá ter filhos que não poderão doar sangue para qualquer um dos pais.
III. O casal poderá ter filhos Rh positivo, que terão suas hemácias lisadas por anticorpos anti-Rh produzidos durante a gravidez da mãe.
IV. Se for considerado apenas o sistema Rh, o pai poderá doar sangue a qualquer um de seus filhos.
São corretas, apenas, as afirmações:
a) II e IV.
b) I, II e IV.
c) II, III e IV.
d) I, II e III.
e) I e III.
21. (PUC-MG) No ambulatório de uma pequena cidade do interior estava D. Josefa, que precisava urgentemente de transfusão sanguínea, mas não se sabia o seu grupo sanguíneo. Como faltavam anti-soros para a determinação dos grupos sanguíneos no sistema ABO, Dr. Epaminondas, que é do grupo A, usou de um outro recurso: retirou um pouco de seu próprio sangue do qual separou o soro, fazendo o mesmo com o sangue de D. Josefa. O teste subsequente revelou que o soro do Dr. Epaminondas provocava aglutinação das hemácias de D. Josefa, mas o soro de D. Josefa não era capaz de aglutinar as hemácias do Dr. Epaminondas. A partir dos resultados, Dr. Epaminondas pode concluir que D. Josefa apresentava sangue do grupo:
a) A.
b) B.
c) AB.
d) 0.
22. (UEL) Os tipos sanguíneos do sistema ABO de três casais e três crianças são mostrados a seguir.
CASAIS
I. AB × AB
II. B × B
III. A × O
CRIANÇAS
a.  A
b. O
c.  AB
Sabendo-se que cada criança é filha de um dos casais, alternativa que associa corretamente cada casal a seu filho é:
a) I – a;    II – b;   III – c.
b) I – a;    II – c;   III – b.
c) I – b;    II – a;   III – c.
d) I – c;    II – a;   III – b.
e) I – c;   II – b;   III – a.
23. (MACK) A respeito do heredograma abaixo, que considera o sistema sanguíneo ABO, assinale a alternativa incorreta.
23
a) O indivíduo 9 pode ser doador universal.
b) O indivíduo 7 pertence ao grupo sanguíneo A.
c) O indivíduo 6 é homozigoto.
d) O indivíduo 1 é receptor universal.
e) O indivíduo 8 é heterozigoto.
24. (COVEST) Na figura abaixo são mostrados os genótipos e fenótipos possíveis, considerando-se os alelos IA, IB e i determinantes dos grupos sanguíneos do sistema ABO no homem. De acordo com a figura, analise as proposições a seguir:
24
I   II
0   0 – Todos os descendentes de um casal de genótipo tipo 2 serão do grupo A e apresentarão em suas hemácias o aglutinogênio A.
1  1 – Indivíduos do grupo sanguíneo B de genótipo 3 ou 4 apresentam na membrana de suas hemácias aglutinogênio B e, no plasma, aglutinina anti-A.
2 2 – Os descendentes de um casal (genótipo 5) do grupo sanguíneo AB serão todos fenotipicamente AB e, como têm em seus genótipos os alelos IA e IB, apresentam, na membrana de suas hemácias, os antígenos A e B.
3  3 –  Indivíduos do grupo sanguíneo O de genótipo 6, apresentam aglutinogênios A e B no plasma, mas não têm aglutininas anti-A e anti-B na membrana de suas hemácias.
4  4 – Para a formação dos aglutinogênio A e B é necessária a presença de um antígeno precursor conhecido como antígeno H, que não estará presente nos indivíduos conhecidos como falsos O.
25. (PUC-RS) Uma mulher com sangue do tipo A / Rh+ / MM é casada com um homem com tipo sanguíneo B / Rh+ / NN. Qual das alternativas abaixo indica o tipo sanguíneo de uma criança que nãopoderia ter sido gerada por este casal?
a) A / Rh+ / NN.
b) A / Rh/ MN.
c) AB / Rh / MN.
d) O / Rh+ / MN.
e) O / Rh/ MN.
26. (FATEC) Considere os seguintes dados:
– Menino de tipo sanguíneo A, Rh.
– Mãe de tipo sanguíneo B, Rh­.
– Pai sem aglutininas do sistema ABO no sangue, mas possuidor do antígeno Rh.
A probabilidade de os pais desse menino terem mais um filho com o mesmo fenótipo de seu irmão, levando em conta o sexo, o grupo sanguíneo e o fator Rh é de:
a) 1/16.
b) 1/12.
c) 1/8.
d) 1/4.
e) 1/2.
27. Para se determinar o tipo sanguíneo de uma pessoa, foram colocadas três amostras de seu sangue sobre uma lâmina de vidro, adicionando-se, a cada uma, soros anti-A, anti-Rh e anti-B, conforme o esquema abaixo. Após alguns segundos, notou-se aglomeração de hemácias apenas no local onde havia soros anti-B e anti-A.
27
Com relação a esses resultados, assinale a opção correspondente ao possível genótipo da pessoa em teste.
a) IAIARR.
b) IAIBrr.
c) IBiRr.
d) IAirr.
e) iiRR.
28. Um banco de sangue possui 5 litros de sangue tipo AB, 3 litros de tipo A, 8 litros B e 2 litros O. Para transfusões em indivíduos O, A, B e AB estão disponíveis, respectivamente:
a) 2, 5, 10 e 18 litros.
b) 2, 3, 5 e 8 litros.
c) 18, 8, 13 e 5 litros.
d) 2, 3, 8 e 16 litros.
e) 2, 5, 18 e 10 litros.
29. (CEFET-AL) A genealogia a seguir mostra os grupos sanguíneos dos sistemas ABO e Rh dos indivíduos de uma família.
29
Com base nessas informações, analise as alternativas abaixo:
I. A probabilidade de um descendente do casal 7 x 8 ser do grupo B e Rh positivo é 3/16.
II. Um casal 7 x 8 não poderá ter descendente do grupo O e Rh negativo.
III. Se o casal 7 x 8 já tiver uma criança com sangue B e Rh positivo, a probabilidade de ter outra com os mesmos fenótipos sanguíneos é 0%.
IV. O casal 7 x 8 poderá ter descendentes de todos os grupos sanguíneos (ABO e Rh).
Estão corretas:
a) Apenas I e IV.
b) Apenas I e II.
c) Apenas II e III.
d) Apenas I, II e IV.
e) Apenas I, III e IV.
30. No heredograma a seguir, estão indicados os fenótipos dos grupos sanguíneos ABO e Rh. O indivíduo 6 deverá ser, em relação aos loci dos sistemas ABO e Rh, respectivamente:
30
a) Heterozigoto – heterozigoto.
b) Heterozigoto – homozigoto dominante.
c) Heterozigoto – homozigoto recessivo.
d) Homozigoto – heterozigoto.
e) Homozigoto – homozigoto dominante.
31. (UFSM) Para os grupos sanguíneos ABO, existem três alelos, comuns na população humana. Dois (alelos IA e IB) são có-dominantes entre si e o outro alelo (i) é recessivo em relação aos outros dois. De acordo com essas informações, pode(m)-se afirmar.
I. Se os pais são do grupo sanguíneo O, os filhos também serão do grupo sanguíneo O.
II. Se um dos pais é do grupo sanguíneo A e o outro do grupo sanguíneo B, todos os filhos serão do grupo sanguíneo AB.
III. Se os pais são do grupo sanguíneo A, os filhos poderão ser do grupo sanguíneo A ou O.
Esta(ão) correta(s):
a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas III.
d) Apenas I e III.
e) I, II e III.
32. Com relação à herança dos tipos sanguíneos ABO e Rh verifique as proposições a seguir:
01. No sistema ABO, o tipo O é muito frequente e, por este motivo, o alelo responsável por sua expressão é dominante sobre os demais.
02. Os indivíduos do sistema ABO classificam-se em um dos quatro genótipos possíveis: tipo A, tipo B, tipo AB e tipo O.
03. No sistema Rh, uma pessoa de sangue Rh+ poderá receber sangue Rh, sem problemas.
04. A eritroblastose fetal poderá ocorrer quando a mãe Rh+ gerar uma criança Rh.
05. Se um indivíduo do tipo B for heterozigoto, ele poderá produzir gametas portadores de IB ou de i, nas mesmas proporções.
06. Os indivíduos do tipo sanguíneo O possuem aglutinógenos em suas hemácias, porém não possuem aglutininas no plasma.
Assinale a alternativa com a soma das proposições verdadeiras.
a) 10.
b) 08.
c) 14.
d) 20.
e) 15.
33. (UFC) Na herança do sistema sanguíneo ABO, há três alelos autossômicos principais: IA (para sangue do tipo A), IB (para sangue do tipo B) e i (para sangue do tipo O). Sabe-se, ainda, que IA e IB são co-dominantes, ambos dominando sobre i. Uma mulher do tipo A, casada com um homem do tipo B, teve uma filha do tipo O. O homem não quis reconhecer a paternidade alegando infidelidade por parte da mulher. Como na época em que o fato ocorreu não havia o “exame do DNA”, o Juiz recorreu a um geneticista que lhe apresentou um parecer sobre o caso. Assinale a alternativa que contém a conclusão correta do geneticista.
a) O homem tem razão, pois, por se tratar de um caso de herança ligada ao sexo, a filha dos dois teria que ser, obrigatoriamente, do tipo A.
b) O homem tem razão, pois, pais com tipos A e B, quaisquer que sejam seus genótipos, jamais poderiam ter filhos ou filhas do tipo O.
c) O homem não tem razão, pois, pais com tipos A e B, dependendo de seus genótipos, podem ter filhos ou filhas com qualquer um dos tipos sanguíneos (A, B, AB e O).
d) O homem não tem razão, pois, por se tratar de herança autossômica, filhos e filhas teriam que ser, obrigatoriamente, do tipo O.
e) O homem tem razão, pois, pais com tipos A e B, só podem ter filhos ou filhas do tipo AB, visto que IA e IB são co-dominantes.
34. (UFRO) O quadro abaixo relaciona os indivíduos com seus respectivos tipos sanguíneos e, baseado nele, é incorreto afirmar que:
NOME ANTÍGENO ANTICORPO
Carla A Anti-B
Tiago B Anti-A
Maura A e B
Luiz Anti-A e anti-B
a) Carla possui sangue tipo A.
b) Luiz é doador universal.
c) Luiz pode doar sangue para Carla, Tiago e Maura.
d) Maura pode receber sangue de Carla, Tiago e Luiz.
e) Se Luiz se casar com Maura, poderão ter filhos com sangue O e AB.
35. (UFMG) Considere os grupos sanguíneos do sistema ABO e suponha que: Andréa e Pedro possuem apenas um aglutinogênio no sangue, mas pertencem a grupos sanguíneos diferentes; Paulo possui duas aglutininas no soro; Monalisa pertence a grupo sanguíneo diferente dos de Andréa, Paulo e Pedro; Cristian pode receber sangue de apenas duas das pessoas citadas. Com esses dados, é correto dizer que Cristian poderia pertencer ao mesmo grupo sanguíneo de:
a) Pedro ou Paulo.
b) Pedro ou Andréa.
c) Só de Paulo.
d) Andréa e Paulo.
e) Paulo e Monalisa.
36. (FUCMT-MS) O avô paterno de uma mulher pertence ao grupo sanguíneo AB e todos os outros avós são do grupo O. Qual a probabilidade de essa mulher ser do grupo AB?
a) Nula.
b) 25%.
c) 50%.
d) 75%.
e) 100%.
37. (FMU/FIAM-SP) Uma pessoa foi informada que não pode doar sangue nem para seu pai, que é do grupo sanguíneo A, nem para sua mãe, que é do grupo B. Podemos concluir que essa pessoa:
a) Pertence ao grupo A.
b) Pertence ao grupo B.
c) Pertence ao grupo AB.
d) Pertence ao grupo O.
e) Possui tanto anticorpos anti-A como anticorpos anti-B.
38. (PUC-PR) Ao ser analisado o sangue dos pais de uma criança, constatou-se serem dos grupos sanguíneos O e AB (sistema ABO). Quanto ao grupo sanguíneo da criança:
a) É impossível prover seu grupo sanguíneo.
b) Poderá ser de qualquer dos grupos sanguíneo: A, B, AB ou O.
c) Será do grupo sanguíneo de um dos pais.
d) Será do grupo sanguíneo A, B ou AB.
e) Será do grupo sanguíneo A ou B.
39. (UFRS) Numa transfusão de sangue, um indivíduo AB, Rh+ recebe sangue de um individuo A, Rh. Nessa transfusão, espera-se que:
a) Não ocorra choque, pois o soro do receptor não possui aglutininas, e o doador não possui o fator Rh.
b) Ocorra choque, pois as hemácias do doador possuem aglutinogênio A, e o receptor possui o fator Rh.
c) Ocorra choque, pois o soro do doador contém aglutinina anti-B, que aglutinará as hemácias do receptor.
d) Não ocorra choque, pois as hemácias do receptor são indiferentes às aglutininas anti-A do soro do doador.
e) Não ocorra choque, pois o soro do doador não possui aglutininas incompatíveis com os aglutinogênios do receptor.
40. (UFRS) Uma mulher do tipo sanguíneo A gerou uma criança de sangue O. Por se tratar de um caso de paternidade duvidosa, foram investigados os grupos sanguíneos dos três possíveis pais dessa criança, que são os seguintes: homem I – AB; homem II – B; homem III – O. Quais desses homens podem ser excluídos, com certeza, dessa paternidade?
a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas I e II.
d) Apenas II e III.
e) I, II e III.

GABARITO

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10
C B A VFFVV B B C D B A
11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
A D D B VFVVV E B D B A
21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
C E C FVFFV A A B A A A
31 32 33 34 35 36 37 38 39 40
D B C E B A C E A A

27 de ago de 2017

LISTA DE EXERCÍCIOS GENÉTICA - CEI ZONA SUL

01. (UPE) Em cães da raça labrador, a cor dos pelos pode ser preta, marrom ou dourada, sendo determinada por dois pares de alelos. O alelo C permite a formação de pigmentos, e essa característica é dominante em relação à falta de pigmento condicionada pelo alelo c. No entanto, quando o par cc está presente no genótipo, ele exerce efeito epistático sobre os alelos M e m. O alelo M determina a formação de pelos pretos em relação à característica recessiva, pelos marrons, determinado pelo alelo m. Do cruzamento de cães labradores pretos heterozigóticos para os dois pares de alelos, que prole é possível se obter?
a) 15 pretos (9 C- M-, 3 C- mm e 3 ccMm) para 1 dourado (ccmm).
b) 12 pretos (9 C-M- e 3 C-mm) para 4 marrons (3 ccM- e 1 ccmm).
c) 12 pretos (9 C-M- e 3 C-mm) para 3 marrons (ccM-) para 1dourado (ccmm).
d) 9 pretos (C-M-) para 7 marrons (3 C-mm , 3 ccMm e 1 ccmm).
e) 9 pretos (C-M-) para 3 marrons (C-mm) para 4 dourados (3 ccM- e 1 ccmm).
02. (UNISC) No heredograma abaixo, a característica representada em negrito é dominante ou recessiva e qual o genótipo do indivíduo número 6, respectivamente?
a) Dominante – homozigótico.
b) Recessiva – homozigótico.
c) Dominante – heterozigótico.
d) Recessiva – heterozigótico.
e) Nenhuma das alternativas anteriores está correta.
03. (UFV) Quantos gametas diferentes produzem os genótipos:
a) AA,  b) Aa,  c) AaBb,  d) AABB,  e) AABBccDDeeffgg e  f) AabbccDdee.
a) 1;2;4;1;1;4.
b) 2;2;4;5;5;5.
c) 1;1;2;2;7;5.
d) 1;2;4;1;2;4.
04. (UDESC) Relacione os conceitos dos verbetes, utilizados na genética, da primeira coluna com o significado da segunda coluna.
PRIMEIRA COLUNA
1. Genótipo.
2. Fenótipo
3. Alelo dominante
4. Alelo recessivo
5. Cromossomos homólogos
6. Locus gênico
SEGUNDA COLUNA
(   ) Expressa-se mesmo em heterozigose.
(   ) Pareiam-se durante a meiose.
(   ) Conjunto de características morfológicas ou funcionais do indivíduo.
(   ) Local ocupado pelos genes nos cromossomos.
(   ) Constituição genética dos indivíduos.
(   ) Expressa-se apenas em homozigose.
Assinale a alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo.
a) 4 – 6 – 5 – 2 – 1 – 3.
b) 3 – 5 – 6 – 2 – 1 – 4.
c) 3 – 5 – 1 – 6 – 2 – 4.
d) 3 – 5 – 2 – 6 – 1 – 4.
e) 4 – 3 – 1 – 5 – 6 – 2.
05. (UECE) Analise as seguintes afirmações:
I. Na codominância, os alelos se expressam igualmente, não havendo dominantes ou recessivos.
II. No poliibridismo, está em jogo a expressão de um único par de alelos, constituindo-se na Lei da disjunção dos fatores, ou 1a Lei de Mendel.
III. A síndrome de Down se dá, via de regra, pela trissomia de cromossomo 21.
Está correto o que se afirma em:
a) II, apenas.
b) I e III, apenas.
c) II e III, apenas.
d) I, II e III.
06. (UNCISAL) “Durante a formação das células reprodutivas, ou gametas, cada par de “fatores” se segrega, ou seja, se separa. Cada gameta recebe apenas um fator de cada par, sendo sempre puro.”
Gregor Mendel.
Um homem é heterozigoto Aa para um gene autossômico, e ele tem um alelo recessivo (b) ligado ao X. Que proporções de seus espermatozoides serão Ab?
a) 1/1.
b) 1/4.
c) 1/8.
d) 1/16.
e) 1/32.
07. (UEPG) Mendel fez cruzamentos com ervilhas para estabelecer algumas leis da hereditariedade. Assim, em um dos seus experimentos, cruzou ervilhas amarelas e lisas com ervilhas verdes e rugosas. Na geração F1 observou que todos os descendentes possuíam ervilhas amarelas e lisas. Mendel então intercruzou os descendentes da geração F1 e observou na F2 uma proporção de 9/16 amarelas e lisas, 3/16 amarelas e rugosas, 3/16 verdes e lisas, 1/16 verdes e rugosas. Diante do exposto e sobre as leis de Mendel, assinale o que for correto.
01. Esse é um exemplo da segunda lei de Mendel com dominância completa do fenótipo amarelo sobre o fenótipo verde e também do fenótipo liso sobre o fenótipo rugoso.
02. As duas características analisadas nesse exemplo, cor da ervilha e forma da ervilha, correspondem cada uma delas ao controle de um gene.
04. Esses dois genes analisados no exemplo, gene que controla a cor da ervilha e gene que controla a forma da ervilha, obrigatoriamente estão em cromossomos diferentes, fato que define a lei da segregação independente.
08. A proporção observada na F2 de 9:3:3:1 é decorrente da segregação de um gene com dominância incompleta.
16. Esse exercício mostra claramente que os genes para cor da ervilha e formato da ervilha estão no mesmo cromossomo; por isso é chamado de ligação gênica.
Soma das alternativas corretas:
08. (UNIFACS) Para resolver esta questão utilize as informações a seguir:
O diagrama ilustra um experimento realizado por Cuénot logo após o reconhecimento do trabalho de Mendel e, posteriormente, ampliado por outros pesquisadores.
A proporção fenotípica de 2 camundongos amarelos: 1 aguti, em repetidos cruzamentos dessa natureza, tem como explicação:
a) O princípio da segregação é inaplicável aos animais.
b) O gene A se comporta como recessivo na determinação da cor da pelagem.
c) O alelo A, em homozigose, determina a morte dos camundongos.
d) A ocorrência de uma mutação nova gerou um alelo letal para os camundongos.
e) O efeito pleiotrópico do gene a ocorre em qualquer genótipo.
09. (UNIFESP) A síndrome de Gaucher é autossômica e recessiva. Ela consiste na deficiência de uma enzima dos lisossomos, responsável pela digestão de gorduras das células. No caso de pacientes com a síndrome de Gaucher, pode-se afirmar corretamente que:
a) A deficiência da enzima levará ao acúmulo de lipídios no fígado do portador da síndrome.
b) A introdução de cópias do gene normal nas células do fígado evitará a síndrome nos descendentes.
c) A deficiência enzimática e a mutação estão presentes apenas nas células do fígado.
d) Por ser uma anomalia de enzima dos lisossomos, ela não é hereditária.
e) O cruzamento de um homem heterozigótico com uma mulher afetada resulta em 25% de probabilidade de filhos afetados.
10. (UEPG) Com relação à genética, assinale o que for correto.
01. A molécula de DNA é uma dupla cadeia de aminoácidos, onde a base nitrogenada adenina pareia-se com metionina e guanina e faz ligação com citosina.
02. O sistema sanguíneo ABO humano é um exemplo de polialelismo.
04. De acordo com a primeira lei de Mendel, se for realizado um experimento com cobaias, no qual a cor de pelagem preta (B) é dominante sobre a pelagem branca (b), a geração F1 será toda constituída de animais heterozigotos para a cor preta (Bb), se a mãe for homozigota para a cor preta e o pai homozigoto para a cor branca.
08. As mulheres com Síndrome de Turner possuem 3 cromossomos X.
Soma das alternativas corretas:
11. (UFG) Após seu retorno à Inglaterra, Darwin casou-se com sua prima Emma, com quem teve dez filhos, dos quais três morreram. Suponha que uma dessas mortes tenha sido causada por uma doença autossômica recessiva. Nesse   caso, qual   seria   o genótipo do casal para essa doença?
a) aa e aa.
b) AA e aa.
c) AA e Aa.
d) AA e AA.
e) Aa e Aa.
12. (COPERVE) No heredograma abaixo, os símbolos preenchidos (pretos) são de pessoas com uma doença genética em comum, causada pela ação de um gene recessivo, e os não preenchidos (brancos), de indivíduos normais.
Sobre o heredograma acima e de acordo com a 1ª Lei de Mendel, é correto afirmar que:
a) O casal 10 e 11 possui 50% de chance de ter um filho do sexo feminino com a doença em questão.
b) Os indivíduos 01, 04, 05, 07, 08 e 10 possuem genótipo heterozigoto.
c) A doença pode ser considerada uma herança ligada ao sexo.
d) Os indivíduos 01 e 07 são homozigotos dominantes.
e) Não é possível definir o genótipo dos indivíduos 04, 05, 08 e 10.
13. (UFV) Um casal normal tem cinco filhos. Dois deles sofrem de um distúrbio genético raro que tem aparecido esporadicamente nessa família. Qual é o tipo de relação entre os alelos desse gene?
a) Codominância.
b) Dominância completa.
c) Dominância parcial.
d) Ausência de dominância.
14. (IFMG) Considere o heredograma abaixo, no qual as figuras em negro representam indivíduos portadores de uma determinada característica:
Julgue as afirmativas a seguir e identifique a incorreta:
a) Um exemplo de característica que segue esse padrão de transmissão é a polidactilia.
b) Os indivíduos 1 e 2 têm o mesmo genótipo.
c) Pelos dados apresentados é impossível determinar precisamente o genótipo do indivíduo 6.
d) Se 3 se casar com um homem que tenha o mesmo genótipo que seu pai, todos os seus descendentes apresentarão essa característica.
15. O vigor híbrido, muito explorado nos programas de melhoramento, é a medida da superioridade do F1 em relação a seus pais. Vigor híbrido é também conhecido por:
a) Heterose.
b) Seleção.
c) Herdabilidade.
d) Variabilidade.
16. (UFC) Um homem albino com sangue tipo AB casou-se com uma mulher normal também com sangue tipo AB. O casal pretende ter filhos. Qual a probabilidade de nascer uma criança albina do sexo masculino e com tipo sanguíneo AB, sabendo-se que a mãe é normal heterozigótica para albinismo?
a) 1/8.
b) 1/4.
c) 1/2.
d) 1/12.
e) 1/16.
17. (UEPG) O polialelismo, a interação gênica e as heranças ligadas ao sexo são importantes tipos de herança genética. Com relação a esses sistemas de herança genética, assinale o que for correto.
01. Para a herança do grupo sanguíneo ABO, um homem tipo sanguíneo AB (genótipo IAIB) casado com uma mulher homozigota para sangue O (ii) só podem ter descendentes do tipo sanguíneo A ou B.
02. A cor da pelagem dos coelhos é condicionada por 4 alelos, a seguir, em ordem de dominância: C, que determina pelagem selvagem; cch determina chinchila; ch determina himalaio; c determina albino. O cruzamento entre um coelho macho selvagem (genótipo Cc) e uma fêmea chincilha (genótipo cchc) resulta em uma probabilidade fenotípica da prole de 50% selvagem, 25% chinchila e 25% albino.
04. Quando dois ou mais genes (não alelos) determinam uma mesma característica, ocorre a denominada interação gênica.
08. Uma mulher com visão normal, porém portadora do alelo para daltonismo (genótipo XDXd), é casada com homem normal (genótipo XDY). Esse casal terá todos os filhos (meninos) apresentando daltonismo.
16. Um homem hemofílico (genótipo XhY) casado com uma mulher normal (XHXH) terá todos os filhos normais.
Soma das alternativas corretas:
18. (UNIFOR) O albinismo é condicionado por um alelo recessivo e o sistema ABO de grupos sanguíneos por uma série de três alelos. Os genes para essas características são autossômicos e segregam-se independentemente. Um homem com pigmentação normal e do grupo A é casado com uma mulher albina e do grupo B. Esse casal, que já tem um filho albino e do grupo O, quer saber a probabilidade de vir a ter uma criança com pigmentação normal e do grupo AB. Essa probabilidade é:
a) 1/16.
b) 1/8.
c) 3/16.
d) 1/4.
e) 3/4.
19. (PUC-MG) O esquema abaixo representa a reprodução em abelhas.
Sobre ele é correto afirmar, exceto:
a) A formação de gametas pode ocorrer com meiose ou mitose.
b) A probabilidade de maior variabilidade genética pode ocorrer em operárias e rainhas.
c) No esquema apresentado, a partenogênese ocorre apenas nos zangões.
d) Os zangões, por serem Haplóides, não apresentam variabilidade genética.
20. (UEM) Sobre os conceitos utilizados em genética, é correto afirmar que:
01. Na polialelia um caráter é condicionado por três ou mais genes alelos, que surgem por mutação de um gene original; entretanto, cada indivíduo só pode ter dois alelos de cada vez.
02. Codominância é o fenômeno em que os alelos de um gene impedem a expressão dos alelos de outro par, que pode ou não estar no mesmo cromossomo.
04. Penetrância gênica é definida como a porcentagem de indivíduos com determinado genótipo que expressa o fenótipo correspondente.
08. Um único gene que exerce efeito simultâneo sobre várias características do organismo é denominado de pleiotrópico. Um exemplo para o organismo humano é a fenilcetonúria.
16. Herança quantitativa é o termo utilizado para descrever situações em que o fenótipo dos indivíduos heterozigóticos é intermediário, em termos quantitativos, entre os fenótipos dos dois homozigóticos.
Soma das alternativas corretas:
Anúncios

Cientistas criam bactéria 'ciborgue' que gera combustível verde a partir da luz do sol

verde a partir da luz do sol

Bactéria 'ciborgue'
Cientistas criaram micro-organismos cobertos por semicondutores que, assim como as plantas, podem gerar energia a partir da luz do sol, dióxido de carbono e água, mas de forma muito mais eficiente.
As bactérias "ciborgues" produzem ácido acético, que pode ser transformado em combustível e em plástico.
Durante testes realizados em laboratório, a bactéria se provou muito mais eficiente em absorver energia do sol do que as plantas.
O estudo foi apresentado em um encontro da Sociedade Americana de Química (ACS, na sigla em inglês) em Washington, nos Estados Unidos.
Há muitos anos cientistas vinham tentando replicar artificialmente a fotossíntese.

Ciborgues

Na natureza, a clorofila é a chave para esse processo, ajudando as plantas a converter gás carbônico e água, usando a energia solar, em oxigênio e glicose.
Mas cientistas dizem que esse processo, embora funcione, é relativamente ineficiente.
Isso tem representado um grande problema para a maioria dos sistemas artificiais desenvolvidos até agora. O experimento busca aprimorar essa eficiência ao equipar a bactéria com "painéis solares".
Depois de estudarem a antiga literatura sobre a microbiologia, pesquisadores perceberam que algumas bactérias têm uma defesa natural contra cádmio, mercúrio ou chumbo, o que permite a esses micro-organismos transformar metais pesados em um sulfureto, caracterizado por um minúsculo semicondutor cristalino em suas superfícies.
"É ridiculamente simples, aproveitamos uma habilidade natural dessas bactérias que nunca foi examinada através das lentes dos microscópios", diz Kelsey Sakimoto, da Universidade de Harvard, em Massachusetts, nos Estados Unidos.
"Nós as cultivamos e introduzimos uma pequena quantidade de cádmio, e organicamente essas bactérias produzem cristais de sulfeto de cádmio que então se aglomeram no topo de seus corpos", acrescenta.
"Você as cultiva em um líquido e adiciona pequenas gotas de solução de cádmio. Após alguns dias, aparecem esses organismos fotossintéticos", explica Sakimoto.
"É tudo muito simples, é como uma alquimia."
Essas bactérias "encorpadas" produzem ácido acético, essencialmente vinagre, a partir do gás carbônico, água e luz. A eficiência do processo é de 80%, quatro vezes maior do que o nível de painéis solares comerciais e mais do que seis vezes o nível da clorofila.
Direito de imagem Kelsey Sakimoto
Image caption Micro-organismo é capaz de fazer fotossíntese de forma muito mais eficiente do que plantas

Luz solar

Sakimoto diz acreditar que essas bactérias podem ser mais eficientes do que outras iniciativas de gerar combustível verde a partir de fontes biológicas.
Atualmente, outras técnicas de fotossíntese artificial exigem eletrodos sólidos e caros.
Já o processo que usa a bactéria "ciborgue" só exige vasos grandes cheios de líquido expostos ao sol - a partir daí, as bactérias se autorreplicam e se autorregeneram.
Trata-se, portanto, de uma tecnologia de baixo resíduo e que deve gerar mais resultados em áreas rurais ou em países em desenvolvimento.
As pesquisas foram realizadas na Universidade da Califórnia em Berkeley, no laboratório de Peidong Yang.
"O objetivo da pesquisa no meu laboratório é essencialmente 'superalimentar' bactérias não fotossintéticas ao fornecer a elas energia na forma de elétrons de semicondutores, como sulfureto de cádmio, que absorvem a luz de forma mais eficiente", diz Yang.
"Agora estamos buscando absorvedores de luz mais benignos do que o sulfureto de cádmio para fornecer à bactéria a energia que vem da luz", acrescenta.
Os pesquisadores dizem acreditar que o processo, embora constitua um passo novo e importante, pode não ser a tecnologia que prevalecerá.
"Há tantos sistemas surgindo e realmente só começamos a explorar as diferentes formas de combinar química e biologia", explica Sakimoto.
"Há uma possibilidade real de que há alguma tecnologia que vai surgir e melhorar nosso sistema", conclui.
 http://www.bbc.com/portuguese/geral-41017577

Os peixes que ficam 'bêbados' para sobreviver ao inverno

Peixe dourado
Direito de imagem Getty Images
Image caption Nível de álcool no sangue das espécies de peixe estudadas era mais elevado do que o permitido para humanos dirigirem em alguns países da Europa
Para a maioria dos animais - inclusive os seres humanos -, a falta de oxigênio é fatal em questão de minutos.
Embora possamos metabolizar carboidratos sem oxigênio, esse processo produz o ácido lático, que se acumula rapidamente no corpo.
Já o peixinho dourado - um dos peixes de aquário mais comuns - e a carpa são capazes de sobreviver por até cinco meses sem oxigênio em lagoas e lagos gelados do norte da Europa. E agora, os pesquisadores descobriram como eles conseguem.
Na maioria dos animais, há um tipo de proteína que leva os carboidratos para a mitocôndria, que gera energia para as células. Na ausência de oxigênio, o consumo de carboidratos gera ácido lático, do qual os peixes não conseguem se livrar e que pode matá-los rapidamente.
Mas, egundo uma equipe de cientistas europeus, carpas e peixinhos dourados têm um segundo conjunto de enzimas que, no momento em que os níveis de oxigênio caem, transformam os carboidratos em álcool, que pode ser liberado facilmente por meio de suas brânquias, os órgãos de respiração dos peixes.
"Essa segunda via só é ativada na falta de oxigênio", explica à BBC Michael Berenbrink, cientista da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, e membro da equipe de pesquisa.
"A camada de gelo (na superfície dos lagos) os separa do ar. Por isso, quando o lago está coberto de gelo, o peixe consome todo o oxigênio e depois passa a produzir álcool."
'Bêbados'
Quanto mais tempo estes peixes ficam sob o gelo e sem ar, maiores são os níveis de álcool em seu corpo.
Direito de imagem Science Photo Library
Image caption Pesquisadores esperam que o estudo ajude a entender o impacto do álcool no organismo dos seres humanos
"Se você mede esses níveis quando eles estão no lago, o álcool no sangue dos peixes supera 50 mg por 100 mililitros, acima do nível que é permitido para dirigir na Escócia e em outros países do norte da Europa", afirma Berenbrink.
"Assim, podemos dizer que eles estão realmente sob efeito de álcool", diz.
Mas, e os peixes estejam repletos de álcoool, não é isso que provoca sua morte.
Se o inverno for muito prolongado, eles consomem toda a energia que têm acumulada no fígado e morrem.

Reposição

Segundo os pesquisadores, é possível tirar algumas lições importantes da adaptação evolutiva que produz esse conjunto duplicado de genes, que permitiu a estas duas espécies manter o funcionamento original do organismo, mas também ter um "plano B" para conseguir energia.
"A produção de etanol (álcool) permite que a carpa, por exemplo, a seja a única espécie que sobrevive e explora ambientes hostis. Isso evita também a competição e a ameaça de outras espécies de peixes que normalmente interagem com ela em águas com melhor oxigenação", diz Cathrine Elisabeth Fagemes, da Universidade de Oslo, na Noruega, principal autora do estudo.
"Por isso, não é estranho que o primo da carpa, o peixinho dourado, seja um dos animais de estimação mais resilientes que os humanos podem ter."
Os cientistas calcularam ainda - embora apenas por diversão - quanto tempo seria necessário para produzir uma bebida alcoólica a partir das secreções de um desse peixes.
"Se você colocá-lo em um copo de cerveja e tapá-lo, levaria 200 dias para atingir um nível de álcool de 4%", conta Berenbrink.

 http://www.bbc.com/portuguese/geral-41049687

Total de visualizações de página

Follow by Email

 
Desenvolvido por Othon Fagundes